AdSense

sábado, 1 de agosto de 2015

Este é o Parque Anhanguera em Sampa, Zona Norte

É incrível como São Paulo tem lugares bonitos para diversão!

Hoje vamos visitar o Parque Anhanguera, que fica em Perus, na zona norte de São Paulo:

Av. Fortunata Tadiello Natucci, 1000 (alt. km 26 da rodovia Anhanguera) – Perus
Subprefeitura Perus
Área: 9.500.000 m²
Funcionamento: diariamente das 6h às 18h
Fone/Fax: (11) 3917-2406




INFRAESTRUTURA
Campos de futebol (terra), quiosques, churrasqueiras, anfiteatro, playgrounds, quadras poliesportivas, orquidário e espelho d’água, pista de cooper, caminhada, ciclovia, paraciclos, aparelhos de alongamento, e sanitários adaptados para portadores de necessidades especiais. Possui também o Bosque da Leitura realizado pela Secretaria de Cultura todos os domingos e Centro de Reabilitação de Animais Silvestres na área de visitação restrita.

Em fase de implantação, estão a Escola de Marcenaria e o novo Centro de Manejo de Animais Silvestres será um dos maiores do Brasil, utilizando tecnologia a partir dos recursos provenientes da venda de créditos de carbono do Projeto Bandeirantes de Gás de Aterro e Geração de Energia.


O Parque Anhanguera é originário de uma área remanescente do Sítio Santa-Fé, uma antiga fazenda de reflorestamento adquirida pela Prefeitura em 1978. Foi inaugurado em 25/07/1979, sendo rico emambientes, o parque possui matas ciliares, campos secos e alagados (brejos), capoeiras e uma grande quantidade de cursos d’água. Os brejos e várzeas constituem o principal abrigo para répteis e anfíbios.



Possui elevada riqueza de fauna, com cerca de 230 espécies, sendo 146 de aves, entre as quais se destacam falcão-de-coleira, acauã, gralha-do-campo, maitaca, jacuaçu, coró-coró, inhambu-guaçu e inhambu-chitã. Dentre as aves endêmicas de Mata Atlântica ocorrem: papa-taoca-do-sul, arapaçu-rajado,tangará e sanhaçu-de-encontro-amarelo. Possui grande diversidade de beija-flores, como o pequenino estrelinha, o beija-flor-preto e o beija-flor-de-frontevioleta, que visitam as flores de malvavisco. À noite, brejos e lagos tornam-sebastante festivos com a “musicalidade” de mais de 15 espécies de anfíbios anuros. Destaque para o sapo-martelo e a perereca-cabrinha, que coaxam fazendo jus aseus nomes, bem como para a beleza ímpar da perereca-de-folhagem. Serpentes, cágado-pescoço-de-cobra e lagarto-teiú estão entre os répteis observados. Mais de vinte espécies de mamíferos foram assinaladas, incluindo: morcegos, furão, quati, veado-catingueiro, capivara, tatus, preá, tapiti, cuícas e caxinguelês. Recentemente foram registradas a jaguatirica e a suçuarana, espécies ameaçadas de extinção, além do cachorro-do-mato.


Remanescente do Sítio Santa Fé, antiga fazenda de reflorestamento. Apresenta vegetação composta predominantemente por eucaliptal, com sub-bosque com espécies nativas como o camboatá e o tapiá-guaçu. Apresenta também remanescentes da Mata Atlântica ao longo de cursos d’água, campos secos, brejos, orquidário e áreas ajardinadas, onde encontram-se espécies como jerivá, paineira e tipuana. Foram registradas 204 espécies, das quais 7 estão ameaçadas como o pinheiro-do-paraná, as samambaiaçus e a unha-de-vaca-do-campo.

Vejam mais algumas imagens:



Bora visitar este lindo parque?